EDITORIAL

O EVANGELHO É O PODER DE DEUS

O segredo da obra missionária não é o obreiro, não é a estratégia, não é o dinheiro, não é o esforço humano, mas o próprio evangelho. Ele é o poder de Deus para salvar o mais vil pecador. O evangelho é divino, sobrenatural e poderoso. Nenhuma pessoa pode ser indiferente ao poder do evangelho. Ele é abrangente, envolvente e irresistível. Ninguém pode se dizer indiferente depois que houve o evangelho.

Paulo nos ensina duas verdades acerca do poder deste evangelho, em Gálatas, no capítulo 1.

Primeiro, que o evangelho que pregava veio diretamente de Deus. Paulo revela a origem da sua mensagem: “Faço-vos, porém, saber, irmãos, que o evangelho por mim anunciado não é segundo o homem, porque eu não o recebi, nem o aprendi de homem algum, mas mediante revelação de Jesus Cristo” (Gl 1.11-12). O evangelho não é uma invenção do homem e não lhe fora dado por meio de homens. Paulo conheceu o evangelho por meio da revelação divina. Mais adiante, ele diz que o evangelho que pregava não era uma tradição de homens. O Evangelho é de Deus (Rm 1.1).

Segundo, que o evangelho que pregava foi o mesmo que o transformou (Gl 1.13-24). Ele havia experimentado pessoalmente o poder de Deus. E isso estabelece um princípio espiritual: “Só deve pregar o evangelho quem for transformado pelo evangelho”. Deus transformou a sua vida. Ele era um judaizante fiel, perseguidor e devastador da igreja de Cristo. Mas, Deus transformou a sua vida (At 9.1-19), de perseguidor do evangelho, Paulo passou a ser perseguido, por causa do evangelho. Deus o transformou porque o escolheu e o separou antes de nascer. Deus o transformou quando o chamou eficazmente, pela graça. Todo aquele que Deus escolhe será chamado no tempo certo e de maneira eficaz e irresistível. Deus o transformou por meio da revelação de Jesus. A conversão é um ato da revelação divina. Ninguém tem acesso ao conhecimento das realidades espirituais de Deus, senão por meio da revelação espiritual.

Chegamos ao terceiro ponto deste editorial, para reafirmar que cremos no poder do evangelho. O sucesso da obra missionária está no poder transformador do Evangelho. Não se iluda com as estratégias humanas, com o perfil do pregador, com a comunicação midiática, com a abundância dos recursos financeiros e com a capacidade de conhecer os contextos culturais. O evangelho é poderoso por si mesmo.

A Junta de Missões Nacionais se rende ao poder do Evangelho. Ele é a manifestação do poder de Deus. O soberano Espírito Santo age pela pregação do evangelho. Só existem missões de acordo com Deus e com a Bíblia, se o Espírito Santo estiver no comando. Ele é indispensável à obra missionária.

Essa edição é uma exaltação do poder do evangelho. A JMN – Junta de Missões Nacionais, da Igreja Presbiteriana do Brasil, nesses 79 anos, atribui o sucesso dos seus empreendimentos ao poder do evangelho, sob a soberania de Deus. Boa leitura!

Rev Arival Dias Casimiro
Presidente da JMN

Revista 48

Revista 47

Revista 46